• APP Investor & Media Relations
  • Faça download em:

R&C 2017 | Relatório de Sustentabilidade 2016/17

Uma Marca de Excelência

"Somos o que somos porque somos produtores florestais."

Pedro Queiroz Pereira

Presidente do Conselho de Administração

Sustentabilidade

O Relatório de Sustentabilidade 2016-17 da The Navigator Company espelha a gestão responsável da Companhia e o seu compromisso com o desenvolvimento sustentável.

A estratégia de sustentabilidade da Navigator integra desafios na área da Economia Circular, Alterações Climáticas, Conservação da Biodiversidade e Inovação, encontrando-se alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) das Nações Unidas.

A Navigator tem um modelo de negócio sustentável baseado na utilização de matérias-primas renováveis e em produtos bio-degradáveis e recicláveis, que contribuem para o bem-estar das pessoas. Investe na qualificação dos Colaboradores e em programas de responsabilidade social na comunidade.

Saiba mais sobre o Relatório de Sustentabilidade

Áreas de Negócio

I&D

Na The Navigator Company, a função de Investigação e Desenvolvimento está consagrado no RAIZ – Instituto da Floresta e Papel, que se dedica ao know how na indústria da pasta e do papel a partir do eucalipto, em articulação com o meio académico.

Esta relação foi reforçada em 2017, com o financiamento do Programa Inpactus, que permitirá produzir papel com melhor capacidade de impressão e novos revestimentos funcionais, bem como biocombustíveis e biocompósitos a partir de biomassa.

Floresta

Maior proprietária privada florestal portuguesa, a Navigator é uma empresa verticalmente integrada, que gere cerca de 112 mil hectares certificados e distribuídos em Portugal Continental e Açores em cerca de 1 400 Unidades de Gestão em 173 municípios. Representa também um dos maiores viveiros florestais da Europa assegurado pelos Viveiros Aliança, S.A., uma empresa da Companhia que em 2017 produziu mais de 12 milhões de plantas, de mais de 100 espécies diferentes.

Tendo a Sustentabilidade no seu ADN, e representando a Floresta um dos ativos mais valiosos da Companhia, em 2017 foram levadas a cabo diversas ações de esclarecimento sobre a importância da floresta, bem como a excelência e sustentabilidade da matéria-prima Eucalytpus globulus.

A ligação do Grupo à floresta reflete-se também na forma como encara a sua política de responsabilidade social. Em 2017, a Navigator investiu € 3,4 milhões em ações de Defesa da Floresta contra Incêndios, dos quais € 1,35 milhões em prevenção.

Certificação Florestal - Saber Mais

Pasta

2017 foi um ano de forte dinâmica para a Navigator no que respeita ao mercado da pasta, com um crescimento de 7% no volume de vendas, a par com o crescimento de consumo no mercado, na ordem dos 4%, muito impulsionado pelo mercado chinês e pelo crescimento do mercado do tissue.

Neste seguimento, marcou-se o arranque do investimento para ampliação da capacidade de produção de pasta no Complexo Fabril da Figueira da Foz, que passará das atuais 580 mil toneladas para 650 mil toneladas por ano. Este aumento de produção permitirá manter a exposição atual da Navigator ao mercado de pasta, já que a unidade de Cacia irá integrar uma parte da sua produção de pasta na produção de tissue já a partir de 2018.

Papel

Ao mesmo tempo que mantém a sua posição de liderança no mercado europeu de papel de impressão e escrita (UWF − Uncoated Woodfree), que se traduz numa quota de mercado de 19% no UWF e cerca de 50% no segmento premium, a Navigator cresce em novos mercados que se mostram bastante atrativos e dinâmicos. Em 2017 obteve um volume de vendas de 1 578 mil toneladas, registando uma melhoria no seu mix de produtos, em termos de qualidade e em relação às marcas próprias (que aumentaram mais de 7% face a 2016 para representar 62% do total das vendas).

O volume de vendas para a Europa ronda os 64%, continuando este a ser o principal mercado da The Navigator Company. Os desafios são constantes e existe uma contínua identificação de novas oportunidades de negócio na Navigator. Prova disso são os novos produtos desenvolvidos em 2017, como é o caso do Navigator Premium Inkjet, do Navigator e Soporset Digital e dos sacos de papel, nos quais as oportunidades de crescimento são consideráveis.

Tissue

A The Navigator Company acredita que pode crescer mais e diversificar ainda mais o seu negócio e prova disso é a nova aposta e estratégia de liderança no setor do tissue, segmento com crescimento anual de 2 a 3%, no qual a Navigator acredita que consegue desenvolver um modelo de negócio inovador, baseado na integração direta de pasta de elevada qualidade e beneficiar das características intrínsecas do eucalipto. Um modelo de negócio que permitirá desenvolver vantagens competitivas importantes relativamente aos principais produtores europeus e que apresentou em 2017 níveis de crescimento significativos de 10% em volume de negócios.

No âmbito desta aposta estratégica, a Navigator avançou em 2017 com um investimento em 2017 na unidade de Cacia, o que vai permitir voltar a duplicar o volume de produção e tornar a operação da Companhia totalmente integrada, desde a produção de pasta à produção de bobines e à transformação em produto final.

Energia, Água e Ambiente 

Detentora de uma posição pioneira e como maior produtor nacional de energia elétrica a partir de biomassa (em 2017 verificou-se um aumento de 6% deste indicador em relação ao ano anterior, enquanto globalmente a venda de ener­gia elétrica da empresa registou um aumento de 3,6%, no valor de € 5,7 milhões), a The Navigator Company propõe-se reforçar essa posição, com o investimento em novos ativos. Sublinha-se, neste âmbito, a utilização de fontes de energia renovável e o Programa Corpo­rativo para a Eficiência Energética da Empresa.

A utilização de recursos naturais é outra das preocupações da Companhia, a exemplo da expectativa de redução em cerca de 20% da necessidade de captação de água nos próximos cinco anos na fábrica de Setúbal; na mesma linha, destaca-se o programa avançado de melhoria das condições ambientais nas instalações fabris da empresa, de que é exemplo o processo de branqueamento por oxigénio, que tem como objetivo a redução do consumo de químicos e a melhoria das emissões líquidas.